Melhores do Ano: Death Metal



Hail Headbanger, segue nosso especial dos melhores lançamentos do ano, dessa vez, vamos focar nos lançamentos de Death metal, lembrando sempre que só entra na lista lançamentos do metal nacional, e os álbuns estão listados em ordem alfabética. Claro que muitos lançamentos ficaram de fora, e que em breve resenharemos aqui:

1) Burning Torment: “In The Eyes Of The Impotent God” Vindos de Fortaleza e responsáveis por um Brutal Death Metal avassalador blasfemo e com um nível de técnica que demonstra uma formação com verdadeiros peritos em seus instrumentos. Destaque para as faixas: Into the Dephts of Hell, Sacred Hypocrisy, God to Ashes.


2) Chaos Synopsis: “Gods of Chaos” Evoluindo a cada lançamento, confesso que após ouvir Season of Red de 2015 pensava que eles não tinham mais o que evoluir, pois bem, esse ano fomos presenteados com Gods of Chaos, e mais uma vez a banda de São Paulo mostrou o porque da iminência do seu nome na cena , um trabalho irretocável e poderoso. Destaque paras as faixas: Storm of Chaos , Gods of Chaos e Raising Hell.


3) Clamus: “[De]construct” Sempre me impressionou a capacidade que a Clamus tem para transitar entre os estilos fazendo o termo death metal ser apenas uma forma de expressar a rica sonoridade da banda, e nesse trabalho não foi diferente, sendo ate difícil classificar, resta ouvir e tirar suas próprias conclusões. Destaque para as faixas: Revolta, Jukai e Inconstancy.


4) Gestos Grosseiros: “World's Hypocrisy” Com seis anos de hiato é claro que um trabalho do Gestos Grosseiros iria gerar expectativas, e o fato de estar nesta lista só nos demonstra que tal espera não foi a toa. World's Hypocrisy é sujo e agressivo com os dois pés fincados no death metal old school. Destaque para as faixas: The Antichrist, Intellectual Death, The Ambition.


5) Genocídio: “ Under Heaven None” Cada trabalho do Genocídio é diferente e nesse ano eles decidiram assumir seu lado mais death metal que sempre esteve presente na sua sonoridade, só que aqui, com muito mais evidência, fazendo esse álbum tornar-se essencial . Destaque para as faixas: Under Heaven None, Death of a Dream, I Play Your God No More.


6) Gutted Souls: “The Illusion of Freedom” Com uma bagagem muito grande no underground carioca, a Gutted Souls finalmente libera seu primeiro full, numa mistura perfeita entre a escola americana de Deicide, Cannibal Corpse com a técnica da escola européia, mas sempre com elementos que só o death metal brasileiro possui. Destaque para os sons: Being Human, Psychopathic Ruler, Mondo Psycho.


7) Morthur: “Between the Existence and The End” O Rio Grande do Sul, sempre foi um celeiro de bandas extremas, principalmente no que se refere ao death metal, e vem de Erechim, mais uma horda que leva o estilo a outro patamar, além de toda a violência que é característica do estilo, destaque também às letras bem escritas, que fogem do padrão comum e abordam temas filosóficos . Destaque para os sons: Demonized, From Life to Death, Immortals.


8) Nervochaos: “Nyctophilia” Só o fato desse ser o último registro com a guitarrista Cherry, já referencia o álbum como especial na discografia do grupo paulista, porém, além disso Nyctophilia é um trabalho denso, obscuro e criativo mostrando novos caminhos para a sonoridade do grupo e para o próprio death metal. Destaque para os sons: Moloch Rise, Ritualistic, Ad Majorem Satanae Gloriam (que refrão amigos, que refrão).



9)Spiritual Hate: “Diabolical Dominium” O death metal já foi o estilo mais blasfemo e satânico antes do surgimento do black metal, e o grupo paulista Spiritual Hate sabe bem disso sendo responsável por uma temática típica black, mas com instrumental death e vocais cavernosos, melhor mistura impossível. Destaque paras os sons: Behind the lies of God, Awating Fucking Jesus, Diabolical Dominium. 


10) Viletale: “From the Depths ov Mind” Se o Underground Extremo tivesse um prêmio revelação do ano com certeza seria da Viletale, isso se deve ao fato de a horda unir no seu horror metal, death metal e referências diretas à obra de Lovecraft, criando a trilha sonora para emergir no fantástico mundo do escritor. Há tempo de dizer que a banda em 2017 lançou o EP “The Suicide of Dei”. Destaque para os sons: Shattered Existance, Tentacle God, Chant of the Mountain.
 

Texto escrito por Luiz Harley Caires e revisado por Carina Camila Langa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário